Filmes

Resenha: O Touro Ferdinando

Grata animação que traz personagens extremamente carismáticos

“É possível ser campeão sem brigar?”. É com essa frase que digo que O Touro Ferdinando (Ferdinand) é uma animação que vai surpreender. Não, o filme de Carlos Saldanha não é perfeito, tem uma ressalva e outra no seu desenvolvimento, mas a trama além de abordar bem a cultura espanhola com foco nas touradas, traz um protagonista extremamente carismático, personagens cativantes e a mensagem sobre aparências, julgamento e escolhas de forma bonita e emocionante.

Inspirado no livro A História de Ferdinando, de Munro Leaf e Robert Lawson, a trama gira em torno de um touro com o tamanho fora do normal e um coração bondoso. O público acompanha Ferdinando desde pequeno, em uma fazenda especializada em criar touros especificamente para participar de grandes touradas, atividade típica da cultura espanhola. Cercado por amigos que querem seguir os mesmo passos que os pais, Ferdinando apresenta uma personalidade completamente diferente, deixando claro que é um touro que pensa fora da caixa: ele não gosta de brigas, muito menos de imaginar que um dia poderá estar dentro de uma arena. Ele ama flores, seu cheiro e tudo que torna o seu redor harmônico, agradável e feliz. Mesmo com os amigos lhe provocando o tempo todo e dizendo que é fraco, o protagonista não se sente diminuído. Porém, quando o seu pai é escolhido para participar de uma tourada na cidade e não retorna mais, o pequeno entra em desespero e escapa do local de imediato. Assim, Ferdinando vai parar em uma linda fazenda onde mora uma menina adorável chamada Nina. Assim que ela coloca os olhos em Ferdinando, o amor entre a garota e o touro é instantâneo, ultrapassando qualquer barreira. O tempo passa e Ferdinando cresce, ganhando uma forma fora dos padrões, mas isso não o torna nem agressivo e arredio. O lado delicado de Ferdinando permanece ali, assim como as flores, que cresce sem perder a sua beleza. Mas infelizmente nem todos enxergam dessa forma. Um dia, quando Ferdinando participa da Feira das Flores da cidade, ele acidentalmente assusta os habitantes do local devido ao seu tamanho e suas atrapalhadas, trazendo consequências nada agradáveis. Tal incidente o separa de Nina, levando ele de volta ao local onde nasceu.  Para ver sua amiga novamente, Ferdinando vai contar com a ajuda de amigos ainda mais peculiares que ele e embarcar em uma aventura arriscada, mas com toques de diversão.

No geral, o roteiro tem uma boa estrutura que leva o público junto na nova jornada de Ferdinando. A história não foca somente em trazer o protagonista de volta ao seu lar, e sim em abordar sobre as famosas touradas na Espanha. De um lado, é muito comum ver o público vibrando ao ver o toureiro vencer o seu adversário. Mas e o outro lado? É aqui que o filme engrena e mostra o ponto de vista dos touros, como eles são transformados em animais brutos, agressivos e perigosos. Além disso, a trama faz questão de instigar provocações entre Ferdinando e os amigos por meio da competição para mostrar quem é o melhor, quando a verdade nua, crua e triste é que todos terão o mesmo fim, independente de quem ganhar ou não. Não importa se você é extremamente forte, imponente e feroz, pois um pequeno deslize cometido e o seu destino já está traçado. E qual é esse destino? Bom, só assistindo para saber.

Onze livros que vão virar filme em 2018

Se a cultura espanhola é bem retratada, o cenário também não fica para trás. Carlos Saldanha retrata uma Espanha visualmente bonita, alegre e bem colorida. A fotografia e a paleta de cores do filme são vibrantes e não ficam a desejar. Aliás, é possível o espectador acreditar estar assistindo um filme espanhol, quando a verdade é que o longa é americano e dirigido por um brasileiro.

Outro ponto positivo são os personagens que, além de carismáticos, são bem construídos e não estão tão infantilizados, mesmo que o filme seja voltado para as crianças. Com um tamanho excepcional, Ferdinando não assusta em quase nada, pois sua personalidade é doce e agradável, além dele ser muito fofo. Durante essa aventura, o protagonista ensina a não julgar os outros pela aparência e a não desistir dos seus objetivos, muito menos das pessoas que ama.

Nesse elenco agradável, acompanhamos os amigos touros de Ferdinando, o trio de ouriços espertinhos e um coelhinho que desmaia o tempo todo, mas quem realmente cativa e faz você dar boas risadas é a cabra Lupe, com sua personalidade irreverente e escandalosa, muito bem dublada pela atriz Thalita Carauta. No entanto, mesmo com um bom tema, uma boa trama e bons personagens, o filme dá umas barrigadas no segundo ato, ou seja, há algumas cenas que tornam o desenvolvimento maçante, como se o tempo não estivesse passando. Os minutos em que isso acontece são poucos, mas o suficiente para criar um marasmo. No entanto, assim que esse momento chega ao fim, somos levados a um terceiro ato bem dinâmico, divertido e até exagerado, com direito a touro dirigindo no trânsito de Madri. Um absurdo? Um pouco, mas é legal de acompanhar.

Considerações finais

Mesmo com pequenas ressalvas, O Touro Ferdinando é uma grata animação que vai conquistar vários corações, especialmente o da criançada. Além de retratar uma bonita Madri e as típicas touradas, o filme apresenta personagens engraçados, carismáticos e extremamente fofos, e ainda traz a lição de que julgar os outros pela aparência não é o melhor jeito de conviver em sociedade, muito menos de construir um mundo melhor. O longa de Carlos Saldanha surpreende e vale a ida ao cinema.

Ficha Técnica

O Touro Ferdinando

Direção: Carlos Saldanha

Elenco (dubladores originais): John Cena, Kate McKinnon, David Tennant, Gina Rodriguez, Bobby Cannavale, Anthony Anderson, Flula Borg, Daveed Diggs, Miguel Ángel Silvestre, Gabriel Iglesias e Karla Martinez.

Elenco (dubladores brasileiros): Thalita Carauta, Maisa e Otaviano Costa.

Duração: 1h49min

Nota: 7,0