Filmes

Resenha: Artista do Desastre

Melhor papel da carreira de James Franco?

Artista do Desastre (The Disaster Artist) é um filme excepcional que conta a história dos bastidores de um longa considerado o pior de todos os tempos. Um filme bom que fala sobre um filme ruim soa bastante irônico, não é? Sim e isso é bastante contraditório, mas acredite: é maravilhoso e merece a sua atenção do começo ao fim.

Dirigido, produzido e protagonizado por James Franco, Artista do Desastre é baseado no livro The Disaster Artist: My Life Inside The Room, The Greatest Bad Movie Ever, de Greg Sestero. O longa leva o espectador para conhecer a história por trás das câmeras de The Room, obra dirigida, produzida e protagonizada por Tommy Wiseau que anos depois, ganhou o status de cult. Mas afinal, o que torna esse filme tão bom? Pra começar, o roteiro é tão bem estruturado que o público só acredita que a história é sobre uma obra péssima, porque é baseado em fatos reais. No início, o espectador conhece Tommy e Greg (Dave Franco) e a amizade peculiar, sincera e verdadeira que nasce entre eles. Enquanto Tommy leva a sua rotina de aulas de teatro, Greg luta para perder a vergonha em cima do palco, a fim de se tornar um grande ator. Com o mesmo sonho nas mãos, os dois decidem se mudar para Los Angeles, famosa cidade onde tudo acontece.

O filme se torna sarcasticamente fabuloso quando a gente passa a conhecer as peculiaridades de cada personagem, especialmente a de Wiseau: cabelos compridos, um olhar torto, sotaque estranho, excesso de cintos na calça, sem filtro na boca em diversas ocasiões e, é claro, uma risada singular, marca registrada do protagonista. É a estranheza e o jeito de falar e agir do personagem que eleva o nível do filme, que conta com um elenco formidável de apoio. Para prender ainda mais a nossa atenção e aumentar a nossa curiosidade sobre essa figura, o filme enfatiza bem a discrição de Wiseau. Em nenhum momento, o público vai tomar conhecimento de sua idade, país de origem e a razão da sua conta bancária ser tão recheada. Depois de anos em segredo, é possível saber algumas coisas a respeito de Wiseau na internet, mas você não vai achar tantas coisas assim, afinal, para ele a vida privada tem que ficar longe dos holofotes.

Já assistiu Jumanji: Bem-Vindo à Selva?

Ao mesmo tempo em que a estranheza de Wiseau nos surpreende e atrai, ela afasta e repele aqueles que o personagem aborda a fim de iniciar sua carreira artística em Hollywood. Com várias portas fechadas, ele inicia o projeto que iria mudar sua vida pelos próximos anos: The Room. A partir daí, Artista do Desastre se torna ainda mais icônico, pois o público acompanha o nascimento do pior filme desde o desenvolvimento do roteiro até a tão esperada pré-estreia. Os inúmeros erros de gravação – com destaque para a cena de Wiseau que foi gravada mais 100 vezes – as ideias malucas, as cenas completamente sem nexo e contexto, as interpretações endurecidas e mal feitas levam o espectador a uma série de risadas e momentos divertidos, afinal, a gente também ri daquilo que se torna tão embaraçoso. Aliás, é bem provável que você se pegue rindo quase o filme todo, justamente por ser vergonhoso de tão ruim que é The Room, mas também é uma risada com culpa, pois ao se dar conta do quão engraçado é, o público se coloca no lugar do protagonista e carrega todo o peso da pena e das críticas pesadas. Para entender melhor o que eu quero dizer, vocês têm que assistir ao filme.

É nos bastidores de The Room que nos deparamos com diálogos tão ruins que se tornam formidáveis a ponto de você sair da sala do cinema repetindo palavra por palavra: “Oh Hi, Mark?”; “Why are you doing this to me, Lisa?”. Acredite, essas frases não vão sair da sua cabeça. Além disso, Wiseau deixa claro que James Dean, Hitchcock e Tennessee Williams são as figuras que mais lhe inspiram e é possível ver alguns traços da influência destes na produção do filme, só que de um jeito bem distorcido. Por fim, Artista do Desastre ainda conta com participações especiais, como Bryan Cranston, Zac Efron, JJ Abrams, Kristen Bell, Judd Apatow e, é claro, o próprio Tommy Wiseau.

Tenho que dizer que James Franco está no melhor papel da sua carreira e não é a toa que ele ganhou o Globo de Ouro com este filme. Quem desconhece Wiseau ou o filme The Room vai achar que a interpretação de Franco é caricata e bem forçada, mas não é. Se você pesquisar sobre o diretor/ator vai ver o quão perfeito Franco está interpretando traço por traço de Wiseau. Aliás, o filme compara as cenas de Franco com as cenas de Wiseau em The Room e ambos estão desastrosamente perfeitos. Mas falando assim, parece que Wiseau é estranho e bom o tempo todo, mas não é bem assim. Algumas vezes, ele mostra um lado meio sacana e bem chato, principalmente com Greg.

Os irmãos estão com tudo, pois Dave Franco não fica para trás e entrega um Greg extremamente tímido no início, mas que cresce gradualmente ao lado de Wiseau. Se tem uma coisa que esse filme deixa bem claro é a amizade sincera e verdadeira desses dois, pois Greg até abre mão de grandes oportunidades para ajudar o amigo a fazer o filme e a alavancar a carreira, até mesmo quando Wiseau não merece tanto assim.

Considerações finais

Artista do Desastre é genuíno e te conquista com uma história sobre um filme ruim. Irônico, o longa traz um ótimo roteiro, diálogos excepcionais e interpretações peculiares que vão fazer você rir e admirar a performance de cada um, especialmente a de Franco. Mais do que isso, Artista do Desastre faz você ter esperança de que é possível reconhecer o lado positivo de algo que, um dia, foi considerado péssimo. Vale a pena assistir? Sem dúvida! Ha-ha-ha-ha (risada do Wiseau).  

Ficha Técnica

Artista do Desastre

Direção: James Franco

Elenco: James Franco, Dave Franco, Seth Rogen, Alison Brie, Zac Efron, Josh Hutcherson, Ari Graynor, Jacki Weaver, Bryan Cranston, Tommy Wiseau, Greg Sestero, JJ Abrams, Judd Apattow, Kristen Bell, Adam Scott, Casey Wilson, Brett Gelman, Andrew Santino, Hannibal Buress, Jason Mantzoukas e Paul Scheer.

Duração: 1h38min

Nota: 10