Séries

Grey’s Anatomy: primeiras impressões da 14ª temporada

Temporada começa com reencontros e doença surpresa

Grey’s Anatomy is back! Com um episódio duplo, a 14ª temporada começa mais leve, mas sem deixar de lado os tradicionais dramas que ocorrem pelos corredores do Grey Sloan Memorial Hospital. Vamos começar pelo principal? A 13ª temporada terminou com o reaparecimento de Megan Hunt (Abigail Spencer), irmã de Owen Hunt que foi dada como morta no Oriente Médio há anos. Logo de cara, achei que a série fosse se estender mais nesse drama, apresentando uma personagem atordoada, traumatizada e sem memória. No entanto, o roteiro toma um caminho completamente diferente, nos entregando uma personagem alto astral, forte e determinada, mesmo apresentando um quadro grave de saúde. Megan é adorável e possui uma história de vida que deixou muitas marcas, mas nem por isso, ela perdeu a fé em reencontrar sua família. Aliás, ela tem um filho que a espera no Iraque, já que ela ainda não conseguiu adotá-lo oficialmente e trazê-lo para os EUA.    

Grey's Anatomy: veredito da 13ª temporada

Como a série conecta todas as histórias até aqui? Através da condição de Megan. Com um problema grave em seu abdômen, Meredith se dispõe a ajudá-la, dando a opção mais radical de cirurgia, porém é o que lhe dá mais chances de visualizar uma vida a longo prazo sem ser em cima de uma cama. Ciente dos riscos, Megan aceita a proposta, o que contraria um pouco Owen, já que ele prefere uma recuperação mais lenta a fim de não perder a irmã novamente. Claro que o drama se estende gerando burburinhos pelo fato de Meredith tratar de Megan sem ela saber do romance da médica com Nathan. O que mais gostei desse plot é que os personagens se confrontam logo, sem entrar naquele joguinho de “omitir os fatos para proteger alguém”, o que é algo irritante e foi bastante explorado na temporada passada. Mas, mesmo com o jogo aberto, Grey’s Anatomy força ao tentar juntar Nathan e Megan com um pedido de casamento precipitado. Como um dos personagens tem os pés no chão, graças a deus o plano não segue adiante, mas deixa a situação entre Nathan e Meredith bagunçada novamente. O jeito é acompanhar os próximos episódios para saber como a relação irá se seguir.

Quem também retorna ao Grey Sloan Memorial Hospital e a Dra. Teddy Altman (Kim Raver), nossa médica Barbie! Quem se lembra dela? Como foi ela quem ajudou a cuidar da irmã de Hunt após o resgate, nada mais justo do que ela acompanhar de perto os procedimentos e a recuperação da amiga de longa data. Mas, mais do que isso, Teddy é “a pessoa” de Owen, aquela que, junto com Megan, toca em um dos assuntos mais delicados para o médico neste momento: o casamento com Amélia. Já estava mais do que na hora da série dar um gás nessa história, uma vez que ficou estacionada na temporada passada. O que não curti muito nesse plot é a aproximação “colorida” de Hunt e Teddy, o que nos remete à época em que Owen e Cristina passaram por uma crise feia no casamento, o que fez Owen trair a esposa. Sinceramente, espero que isso não siga em frente, mas pelo o que aconteceu nessa season premiere, acredito que mais nada acontecerá entre os dois. Assim espero.

Qual será o destino de Amelia?  

Desde a temporada passada, Amelia apresenta um comportamento estranho, frio e calculista especialmente ao lidar com a crise do seu casamento com Owen. Tudo começou com a ideia de não querer ter filhos, mas tal crise cresceu tanto que acabou virando uma bola de neve, distanciando os dois personagens e deixando que a situação tentasse encontrar o seu caminho de volta sozinho, o que não deu muito certo. Agora, nesta nova temporada, a série nos dá um motivo forte para as atitudes estranhas de Amelia. Junto com o plot do seu paciente da vez, a médica arrisca a vida do garoto ao realizar uma cirurgia radical, colocando alguns médicos, como Avery, contra esse procedimento. A verdade é que tais fatos serviram para nos mostrar que Amelia não está agindo de forma consciente, nem como médica, nem como esposa. O final do segundo episódio nos dá o verdadeiro motivo para a personagem estar tão diferente, um motivo forte, tenso, dramático, mas repetitivo, uma vez que a série já abordou esse assunto na 5ª temporada. Mesmo com esse arco já discutido na série, acredito que a abordagem será diferente e, torço para seja assim, senão Grey’s Anatomy não trará nada de inovador aos seus fãs, o que pode ser algo frustrante.

Novo triângulo amoroso?

A 14ª temporada também dá continuidade ao relacionamento de April, Jackson e Maggie. Pra quem não sabe, há possibilidade da série juntar Jackson e Maggie e esses dois episódios já deram a entender que isso pode mesmo acontecer. Assim, além dos flertes tímidos entre Jackson e Maggie, April finalmente volta ao assunto sobre o que aconteceu em Montana e se diz estar bastante desconfortável com isso, afinal, ela mora com Jackson, tem uma filha com ele, mas não sabe qual é o verdadeiro status do relacionamento deles. Com uma conversa franca e objetiva, ela afirma que não ficará no caminho dos dois, além de querer seguir em frente sem ficar presa a uma possível relação sem futuro. Mesmo com tudo engatilhado, ainda acho a relação de Maggie e Jackson bastante forçada, além de achar que os personagens não possuírem uma conexão que convença. Seria melhor se a série tentasse investir numa relação amorosa mais madura entre April e Jackson, dando-lhes um final feliz merecedor. Vamos ver o que vai acontecer nos próximos episódios.

Jo e Alex tem futuro?

Com todo o drama de violência e tribunal na temporada passada, a nova caminhada de Grey’s Anatomy mostra que há possibilidade de Jo e Alex ficarem juntos, uma vez que os dois ainda sem gostam. Mesmo com algumas cenas engraçadas e atitudes um tanto quanto precipitadas, foi legal ver Jo falando a verdade sobre o que sente e Alex abrindo o jogo sobre ter procurado o marido de Jo. Aliás, o que eu mais quero ver nessa temporada é a chegada do marido da médica no Grey Sloan Memorial Hospital e como a série desenvolverá esse arco que tem tudo para ser bom e intenso.

Novos personagens

Com a saída de Eliza Minnick, Arizona não fica solitária por muito tempo, e logo encontra conforto nos braços de Carina DeLuca (Stefania Spampinato). Esse sobrenome lhe soa familiar? Ela é a irmã mais velha de Andrew DeLuca e, para aumentar a nossa surpresa, eles são italianos! Os dois discutindo em italiano com a Arizona perdida no meio da conversa é uma das cenas mais divertidas dessa season premiere. Para completar, Carina irá se juntar a equipe hospitalar como obstetra e já começou da melhor maneira possível, desenvolvendo um estudo excitante sobre orgasmos. Quem já viu o episódio, sabe do que estou falando.

Quem também dá as caras é a nova equipe de estagiários do hospital. Ao mesmo tempo em que as cenas são engraçadas, os novos internos são bem irritantes já que preferem gravar tudo o que vê ou escuta no celular, ao invés de prestar atenção de verdade. Meredith, Jo e Weber lidando com eles são sensacionais. Mas espero, de coração, que esses internos fiquem mais espertos.

E aí, o que acharam da season premiere da 14ª temporada de Grey’s Anatomy? Deixem nos comentários!

PS: Viram a Meredith lendo um artigo sobre um estudo que a Cristina fez? Saudades da nossa Yang!

Imagens: Recap Guide