Filmes

Resenha: De Canção em Canção

Filme tem elenco magnífico e trama pouco atrativa

De Canção em Canção é um filme que te atrai pelo título e, especialmente, pelo elenco magnífico. No entanto, o trailer desperta certo receio, que é confirmado com uma história um tanto quanto confusa. É exatamente assim que eu me senti. Dirigido por Terrence Malick, a trama é ambientada no cenário rock and roll, em um festival de música SXSW que, anualmente, acontece em Austin, no Texas. A história se concentra no casal de compositores BV (Ryan Gosling) e Faye (Rooney Mara), que encontra um no outro uma maneira de deixar de lado as distrações da vida moderna para buscar uma satisfação interna e uma felicidade plena. Os planos mudam quando Cook (Michael Fassbender), um magnata da música, entra na vida do casal e promete dar uma guinada na carreira de ambos. No entanto, enquanto ele ajuda BV, Cook se torna amante de Faye, desequilibrando totalmente a vida dos dois.  

Antes de falar do roteiro, é preciso entender que Terrence Malick apresenta um estilo bastante peculiar que poucos se sentem atraídos. Adepto ao improviso e volúvel, Malick gosta de modificar a história sempre que pode, ou seja, não segue a risca o roteiro elaborado. Além disso, o diretor é poético, artístico, existencialista, dramático, humanista e naturalista e é exatamente isso que o espectador verá em seus longas, mas não são todos que irão apreciar a sua forma de contar uma história.

Resenha: Soundtrack

Estou dizendo isso, pois compreendo perfeitamente o estilo do diretor e acredito que seja uma boa opção para material de estudo sobre Cinema. Mas, no quesito entretenimento, não agrada muito, pois o roteiro é lento, chatinho e cansativo. A história tenta trazer à tela a realidade pura da vida, o medo, a insegurança, o amor e a tristeza de cada personagem, porém, há um excesso de cortes, tornando a colagem das cenas sem sentido e uma trama bem confusa. Entendo que o objetivo do diretor é mostrar como é a vida do ponto de vista dos nossos sentimentos e dúvidas, mas será que nossas emoções são tão confusas e difíceis de entender? Por que se for, isso é bem chato de ver.

Além dos cortes, há um excesso de metáforas nos diálogos. A ideia de introduzir frases de efeito é boa, mas se torna monótona quando esse recurso é utilizado quase o filme todo, ainda mais quando a trama já está um tanto quanto confusa. Infelizmente, esses elementos fazem com que o público se disperse rapidamente e não sinta nenhuma afinidade ou empatia com os personagens. Por exemplo, Faye se torna uma personagem incerta com relação à sua vida pessoal e profissional: uma hora ela quer intensidade; outra hora ela quer paz, sossego e felicidade plena. Já Cook é um magnata quarentão que tenta viver uma vida mais jovial, aventureira e louca, mas que não condiz muito com o que ele é por fora. Junto com ele é introduzida a personagem Rhonda (Natalie Portman), uma garçonete que se sente atraída por Cook e pela vida luxuosa que ele pode lhe oferecer. Infelizmente, a personagem é pouco aproveitada, mas até que sua trama faz mais sentido, já que suas cenas sofrem poucos cortes, dando uma maior compreensão dos fatos. Há também as personagens Amanda (Cate Blanchett) e Zoey (Bérénice Marlohe), que cruzam o caminho de BV e Faye para trazer um pouco mais de sentido às suas histórias. Porém, as personagens são jogadas na trama repentinamente, sem que o público saiba exatamente quem elas são. De todos, quem se salva é BV, que tem uma história um pouco mais concisa, cujos sentimentos são mais transparentes e possíveis de entender. Você sabe o que ele quer e sabe o que ele está sentido quando algo ou alguém lhe atinge.

Mesmo com essas ressalvas, o filme apresenta uma parte técnica muito eficiente, como a fotografia - dirigida por Emmanuel Lubezki, e um bom jogo de câmeras e sequência de planos.

Considerações finais

De Canção em Canção tem um elenco magnífico, um trailer duvidoso e uma trama não muito eficiente. Infelizmente, a atração pelo enredo cai e a atenção do espectador se dispersa pelo excesso de cortes na edição, diminuindo a possibilidade de afinidade com os personagens e tornando a história uma verdadeira crise existencial de duas horas e oito minutos em tela. Como estudo, o filme é uma boa opção de material para análise e discussão, até mesmo para quem é fã do estilo malickiano; como entretenimento, infelizmente, não é atrativo. Mas é aquela coisa: assiste quem quiser e cada um tira a sua própria conclusão.

E aí, o que acharam do filme?

Ficha Técnica

De Canção em Canção

Direção: Terrence Malick

Elenco: Rooney Mara, Ryan Gosling, Michael Fassbender, Natalie Portman, Cate Blanchett, Bérénice Marlohe, Holly Hunter, Val Kilmer, Patti Smith e Iggy Pop.

Duração: 2h08min

Nota: 5,0